Translate

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

"Contemplação"

"Contemplação"
Este quadro resulta duma visita a uma praia em Angola que se caracteriza por ter mais de 30 barcos abandonados. Um autentico cemitério de barcos.
Uma praia mágica, mística, uma poesia sem fim. Esta praia será certamente o palco das minhas próximas paragens artísticas.
Um tema de muitos temas.

Penso que pela primeira vez terei encontrado uma forma de expressão mais perto daquela que procuro. será o traço? a harmonia da cor? Seja o que for está mais próximo daquilo que procuro e hoje ficarei mais tanquilo. Até quando? Vamos ver se nos próximos quadros consigo manter a mesma expressão, que me deixa tranquilo, ou se foi apenas um acaso

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Silêncio

Sinto-me intranquilo.
Quando comecei a pintar, fi-lo por curiosidade. Aprendi algumas técnicas, desenvolvi outras e tentei acima de tudo pintar o que via e como via. O meu objectivo era conseguir imitar a realidade como se duma fotografia se tratasse. Encontrar as formas e as cores.
Há cerca de 2 anos comecei a divergir um pouco, tentando pintar não só a realidade mas alterando-a aqui e ali, ora introduzindo novos elementos ao quadro ora agravando ligeiramente as cores. Esta intranquilidade tem acompanhado a minha obra duma forma intermitente, isto é, alterando a realidade mais ou menos, consoante a estética do próprio quadro, mais do que o meu estado de espírito, mais do que a minha mensagem.
Mas nunca como agora tinha pintado de noite uma imagem que vi de dia. Também nunca tinha adulterado tanto as cores como desta vez.
A minha intranquilidade deriva desta procura não encontrada, deste jogo de experiências que vou deixando em cada quadro e que cada vez mais me vai desafiando. Tenho a impressão que os meus próximos quadros vão entrar ainda mais neste jogo de procura insatisfeita que me deixa cada vez, mais intranquilo